terça-feira, 12 de junho de 2012

Vida de Modelo

"Com o sucesso quase que imediato de atores como Reynaldo Gianenchini e Paulo Zulu, que tiveram carreiras de modelo no exterior, muitos aspirantes podem achar que uma carreira internacional bem-sucedida é um mar de rosas. Ledo engano. Se a carreira de modelo profissional no Brasil já exige um alto grau de profissionalismo e comprometimento, lá fora tudo isso será cobrado em dobro. Portanto, se você almeja ser um Reynaldo ou um Zulu do ano 2006, preste atenção nessas dicas."


1. Atrasos não são tolerados - Quinze minutos no Brasil não são considerados um atraso. Lá fora são uma afronta. Quando você tem um editorial de moda verão agendado para as seis horas da manhã, no meio do inverno, é terrível ter que acordar cedo. Mesmo assim, espera-se que você chegue ao local com pelo menos quinze minutos de antecedência. Muitas produtoras incluem em seu contrato uma cláusula de atraso. Se você chegar atrasado duas vezes, pode se preparar no mínimo para perder o trabalho, e provavelmente pagar uma multa pesadíssima por ter atrapalhado o desenvolvimento do trabalho. Isso se sua agência não decidir se livrar de você imediatamente. 

2. Ataques de estrelismo estão fora de moda - Você pode se achar o máximo e sua mãe também, mas lá fora você só é mais um. Não espere o mesmo calor e receptividade tupiniquins em Nova York, Paris ou Tóquio. Nunca exija nada, a não ser que tenha sido pré-definido contratualmente. Só top models podem se dar ao luxo de fazer restrições. Cara feia e mau humor não vão levar a nada. No máximo à sua exclusão do casting da agência. 

3. O quanto vale seu trabalho - Quem define isso é o mercado. Sempre que um trabalho for oferecido a você ele será baseado em três aspectos: a) sua imagem e como ela se encaixa no produto ou conceito que eles estão procurando vender, b) sua experiência e o grau de profissionalismo que você demonstra e c ) seu reconhecimento na mídia. Não espere ganhar milhões de uma hora para a outra. Até que você se torne conhecido no circuito, você terá que enfrentar a mesma maratona de visitas a agentes, diretores de arte, produtores de moda, etc. Humildade e simpatia são instrumentos importantes a princípio. Profissionalismo sempre.  

4. Gastos e adiantamentos - Normalmente as agências trabalham com sistema de adiantamentos para que você possa sobreviver até que o contrato, que normalmente é de três meses, acabe. Isso significa que o acerto de contas se dará no final do contrato. Assim, tudo o que tiver sido adiantado como dinheiro para moradia, refeições, cuidados com o corpo, etc., será debitado do valor total que você tiver a receber. Essa também é uma forma das agências se precaverem contra modelos que começam um trabalho e não terminam. As agências podem adiantar o dinheiro da sua passagem se você não tiver como ir até o local do trabalho, mas vão cobrar em dobro por isso. Desta forma, é mais negócio você mesmo financiar a sua passagem. Além disso, eles vão passar a olhar o modelo com outros olhos se ele pagar suas despesas com dinheiro próprio.  

5. Boa relação com seu agente - Seu agente lá fora é quem define as suas perspectivas de trabalho. São eles que podem te botar no Olimpo ou te levar ao inferno. Mantenha sempre uma relação cordial, aceite conselhos e seja profissional. Normalmente eles são bastante ocupados e cuidam da carreira de várias pessoas. Nunca apareça de sopetão. Agende uma visita. Se tiver dúvidas, pergunte. Muita gente comete gafes terríveis por pura ignorância. O que vestir, o que falar, o que mudar na sua imagem são alguns dos tópicos que provavelmente você vai querer discutir com seu agente. Mostre interesse e não faça nada que vá alterar sua imagem sem consultá-lo antes. Outro fator é que enquanto você estiver sob contrato com uma agência, você sequer pode ir visitar outra. Modelos que fazem isso são considerados prostitutos de agência. Se você está insatisfeito com seu agente, espere seu contrato terminar antes de se vincular a outro. 

6. Propostas indecentes - Assim como aqui, elas virão de todos os lados. Homens e mulheres vão te prometer o céu. Se você é moralista, escolha outra profissão. É preciso ter muito jogo de cintura para saber dizer não e muita astúcia para saber se essas promessas são realmente seu golpe de sorte ou mais uma cantada barata. Não julgue. Avalie criteriosamente. 

7. Choque cultural - Viver em um outro país não é fácil. Começa pela língua, por mais que você tenha estudado anteriormente, passa por pequenos problemas práticos, como a fechadura que abre ao contrário, a falta de espaço físico e psicológico, o controle severo com água e energia, com a comida, que é esquisita e termina com as saudades de casa, dos amigos e entes queridos. Muita gente desiste no meio do caminho por ficar deprimido e não ter a fibra necessária para vencer as dificuldades iniciais. Se você é do tipo que só come arroz, feijão, bife e mandioca frita, é melhor arrumar uma namorada que saiba cozinhar e pensar em aceitar o emprego fantasma que seu tio conseguiu em algum órgão público. 

8. Disciplina física e moral - Essa palavra assusta muita gente, mas se você quiser ser bem sucedido, disciplina é uma palavra chave. Isso vale para o que você come e bebe, sua vida social e sexual. Nada de excessos. Equilíbrio emocional e psicológico transparecem. Além disso, só pessoas que já chegaram ao estrelato podem ter sua vida pessoal estampada nos tablóides por envolvimento com álcool, drogas, romances intempestivos e ainda assim ganhar papéis de destaque na novela das oito. 

9. Escravo da aparência - Não é mentira. Sua aparência é o que conta. Ninguém quer saber sobre o quão espiritualizado você é e o quanto você é uma pessoa legal. Esse mercado é um mercado de carne e bem material. Nunca minta sobre suas medidas. Se você tem 1.79 m, não diga que você tem 1.85 m. Sua ficha deve ser completa e o mais correta possível. Seu contrato pode ser cancelado e seu agente processado por ter mentido sobre os 2 cm a mais de sua cintura depois daquela visita à churrascaria. Pode parecer exagero, mas é assim que as coisas funcionam. 

Se depois de ter lido a tudo isso você ainda sente um certo frisson e acha que essa é a sua praia., vá em frente. Afinal quem vai se lembrar dos Reynaldos e Zulus daqui a cinco anos. Se quiser pedir conselhos ou enviar comentários, ficarei contente em ter notícias suas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário